Archive for abril, 2016


MECÂNICA DOS CICLOS TEMPORAIS E EVOLUÇÃO

De modo a compreender a dinâmica envolvida em tal mudança de continuum temporal, é de auxílio compreender que a estrutura e a ilusão do tempo linear é criada através da taxa de pulsação de partículas e de seu relacionamento com outras partículas. Cada um dos seis ciclos menores de 4.426 anos dentro de um Ciclo Temporal Harmônico de 26.556 anos representa um continuum temporal. Um Ciclo Temporal Harmônico de 26.556 anos, através do qual um planeta evolui através das bandas de 3 dimensões de um Universo Harmônico é chamado de um Euiago. Um planeta passa através de cada um dos seis contínuos temporais menores conforme este progrida para cima através da escala de 3 dimensões dentro de seu Universo Harmônico. Cada banda dimensional contém dois contínuos temporais de 4.426 anos cada, portanto cada dimensão representa uma trilha temporal de 8.852 anos.

Dos seis contínuos temporais em um ciclo Euiago de 26.556 anos, quatro contínuos temporais representam trilhas temporais movendo-se para frente, chamadas de Pardo , e dois contínuos temporais representam trilhas temporais com rotações opostas chamadas de Reiago, nas quais o planeta passa através do universo paralelo. Um Pardo é igual a 17.704 anos ( quatro contínuos de 4.426 anos cada: 4×4426 anos = 17.704 anos). Um Reiago é igual a 8.852 anos (dois contínuos de 4.426 anos cada: 2×4426 anos = 8.852 anos) gastos em um universo paralelo. Cada Euiago contém um Pardo e um Reiago.

A progressão de um planeta através de um continuum temporal cria uma mudança de 45 graus na rotação angular da partícula (spin), ou 1/8 de uma rotação completa de 360 graus das partículas, assim um contínuo temporal representa uma Oitava dimensional. Uma Oitava = uma trilha temporal de 4.426 anos. Uma dimensão contém dois contínuos temporais, ou duas oitavas. A progressão de um planeta através de uma dimensão cria uma mudança de 90 graus (duas mudanças de 45 graus) no spin das partículas (rotação angular), ou um quarto de uma rotação completa de 360 graus: assim, uma dimensão representa um Quadrante Harmônico. Um quadrante = uma trilha temporal de 8.852 anos. Três Dimensões, três quadrantes, ou seis Oitavas (contínuos temporais) representam um Universo Harmônico. Um Universo Harmônico = uma trilha temporal de 26.556 anos.

Conforme um planeta progride através das duas primeiras Oitavas-Pardo, o spin das partículas (rotação angular) muda de 90 graus com relação à sua posição original. Ao entrar nas duas Oitavas-Reiago no universo paralelo, o spin das partículas passa por uma rotação reversa de 90 graus, trazendo a rotação angular das partículas de volta à sua posição original. Conforme o planeta complete as duas Oitavas-Pardo finais, retornando do universo paralelo, a rotação angular das partículas (spin) novamente muda em 90 graus. Através da progressão das três dimensões, ou Quadrantes, a rotação angular das partículas (spin) ficou com uma mudança acumulada de 90 graus (+ 90 graus, – 90 graus, + 90 graus = + 90 graus de mudança), ou seja, em um Universo Harmônico a rotação angular das partículas (spin) passa por um-quarto de uma rotação completa de 360 graus.

Quando se passa de um Ciclo Euiago (Universo Harmônico) para o outro, a rotação angular das partículas (spin) muda de 45 graus. Entre o Universo Harmônico 1 (UH1) e o Universo Harmônico 2 (UH2), a mudança de 45 graus é uma rotação angular reversa de 45 graus (spin). A Terra entra no Universo Harmônico 2 com suas partículas em uma rotação angular de 45 graus com relação à sua posição original ao entrar no UH1 (+90 graus, -45 graus = mudança de + 45 graus). Na progressão de um Universo Harmônico para outro UH, a rotação angular das partículas move-se para a frente 1/4, então move-se 1/8 para trás, de uma rotação completa de 360 graus.

É através dos relacionamentos multi-dimensionais entre o spin das partículas e anti-partículas que múltiplos campos de realidade podem ocorrer no mesmo espaço, enquanto permanecem invisíveis entre si. Conforme um planeta evolua através deste processo, a taxa de pulsação de partículas, e assim a velocidade na qual o tempo se move, progressivamente aumenta, enquanto a densidade das partículas de matéria progressivamente diminui. Este é o processo de evolução planetária através da escala de 15 dimensões.

Um planeta move-se de uma banda de frequência dimensional para a próxima, e de um contínuo temporal para o próximo, através da atração magnética em seu campo morfogenético, de partículas a partir da energia do Campo Unificado de cada dimensão. Quando um planeta atraiu todos os padrões de frequência de uma dimensão em seu campo morfogenético, este então move-se “para cima” para o próximo campo dimensional para completar o mesmo processo.

Conforme um planeta atraia partículas e padrões de frequência a partir dos Campos Unificados, seu campo morfogenético progressivamente se expande para incluir estes padrões de frequência e a taxa de pulsação de suas partículas progressivamente aumenta. Para cada banda dimensional existe uma correspondente taxa de pulsação de partículas e também uma rotação angular de partículas (spin) específica. Em um Universo Harmônico, um planeta simultaneamente possui três níveis de identidade energética, um nível para cada um dos três campos dimensionais daquele Universo Harmônico. Os três níveis de identidade do planeta funcionam juntos para nos propiciar a ilusão de solidez material Terrestre. O conteúdo de partículas de cada nível da Terra pulsa em um ritmo característico à dimensão na qual cada porção do corpo está estacionada, e o spin das partículas na rotação angular característica a esta dimensão respectiva. O planeta existe dentro de cada um dos seis contínuos temporais simultaneamente, conforme cada um dos três níveis do corpo planetário atraem sua energia a partir de sua respectiva banda dimensional, através da sincronização da velocidade de pulsação das partículas e do spin das rotações angulares dentro de cada um dos seis contínuos temporais. Um planeta evolui para fora de um Universo Harmônico para o próximo Universo Harmônico conforme cada nível de seu corpo tri-dimensional simultaneamente complete a atração de padrões de frequência de sua respectiva dimensão para o campo morfogenético do planeta. Estes processos dão à consciência percebendo a terceira dimensão a ilusão de passagem através do tempo linear. De fato, o tempo não é linear, mas simultâneo.

O Tempo existe como um Campo Unificado de partículas pulsando em vários ritmos e com spins em vários ângulos de rotação, através deste processo as ilusões de espaço manifestado e tempo linear aparecem para as identidades individuadas, conforme estas identidades trazem segmentos do Campo Unificado da substância das partículas para suas vistas através do movimento de suas consciências através das porções do Campo Unificado. O Tempo não “se move”. A Consciência move-se através do Campo Unificado da Matriz Temporal.

Identidades encarnatórias, ciclos temporais, DNA e evolução planetária

A evolução das formas de vida sobre um planeta também ocorre simultaneamente,e, em qualquer tempo dado, a atividade ocorre dentro de cada um dos seis contínuos temporais. Conforme o planeta evolua, assim também evolui a consciência estacionada sobre o planeta. As identidades reencarnatórias representam porções de percepção da alma de uma pessoa que estão simultaneamente estacionadas e evoluindo em uma versão do planeta dentro de cada um dos seis ciclos de contínuos temporais de um Ciclo Euiago. Geralmente, uma Identidade de Alma no Universo Harmônico 2 (dimensões 4-5-6) manifesta-se em 12 encarnações simultâneas, duas em cada um dos seis ciclos temporais em um Universo Harmônico. Em cada par de encarnações, um é masculino e o outro é feminino; este relacionamento é referido como “Chamas Gêmeas”, mas não implica necessariamente em um envolvimento romântico de “Alma Gêmea”.

A Sobre-Alma – a Identidade no Universo Harmônico 3 (dimensões 7-8-9) – cria 12 Identidades de Alma no Universo Harmônico 2 (dimensões 4-5-6), cada uma das quais criam 12 incarnações dentro dos seis ciclos temporais do Universo Harmônico 1 (dimensões 1-2-3). Assim, cada pessoa é parte de uma família encarnatória de 144 encarnações residindo dentro dos seis ciclos temporais do UH1. Cada uma das 144 encarnações carrega parte do padrão de DNA de 12 espirilas dentro do código genético. Conforme as 144 encarnações simultaneamente evoluem com o planeta através dos seis ciclos temporais, o padrão de DNA de 12 espirilas é progressivamente desenvolvido no código genético. O DNA evolui e a consciência humana expande conforme a identidade evolui com o planeta através dos Ciclos Euiago em cada Universo Harmônico. As percepções de suas presentes raças estão focalizadas dentro da faixa mediana da terceira dimensão ( o sexto e último contínuo temporal do UH1), e vocês percebem a realidade destas bandas dimensionais a partir de uma consciência estacionada uma banda dimensional “acima”. Quando vocês percebem a atividade que está simultaneamente ocorrendo no contínuo dimensional da dimensão inferior, nos níveis inferiores do corpo Terrestre, esta atividade aparece a vocês como tendo ocorrido no passado. A percepção dos outros membros de sua Identidade da família de Alma, que estão estacionados em um contínuo temporal “abaixo” do seu próprio, irão aparecer como sua memória de vida encarnatória passada, mesmo que estes períodos de vida estejam ocorrendo simultaneamente dentro de suas próprias coordenadas espaço-temporais. As Identidades estacionadas nos contínuos temporais/ Oitavas e dimensões/ Quadrantes avançados com relação ao seu (os quais, no seu caso seriam aqueles nos ciclos temporais do UH2 de Tara) irão aparecer como memória encarnacional de vida futura.

Conforme vocês agrupem as espirilas de DNA, a percepção tanto das encarnações passadas e futuras se torna progressivamente mais disponível para a sua presente percepção consciente. A Terra evolui através dos ciclos temporais do UH1, expandindo seu campo morfogenético e aumentando o ritmo de pulsação de suas partículas, até que a Terra evolua para os ciclos temporais do UH2 para se tornar Tara. Conforme vocês se movem através dos ciclos temporais do UH1 com a Terra, agrupando seus DNA s expandindo suas consciências, vocês evoluem até os ciclos temporais do UH2 para se tornarem sua Identidade Self-Alma (dimensões 4-5-6).

Para o Self-Alma, as 12 imediatas encarnações no UH1 que estão em sua família encarnatória são reconhecidas como fragmentos de sub-personalidades vivas de sua própria Identidade, cujas realidades simultaneamente ocorrem dentro das bandas dimensionais contidas dentro do DNA do Self-Alma. O DNA representa padrões de dados digitais eletromagneticamente codificados de outras porções vivas de sua Identidade, os quais estão estacionados dentro de outros contínuos temporais. Através do DNA a realidade experencial das encarnações de outras coordenadas espaço-temporais são implantadas nas células corporais para criar uma Memória Celular viva de sua participação simultânea dentro de outros campos temporais. O DNA funciona como uma janela no tempo através da qual sua consciência pode perceber e participar em atividades tendo lugar em outros contínuos temporais. Conforme você agrupe o DNA, você expande as partículas de seu corpo e a sua percepção em ciclos temporais de dimensões “mais elevadas”, e progressivamente abre as janelas através do tempo em outras coordenadas espaço-temporais dentro de outros ciclos temporais. Através do agrupamento do DNA, a Memória Celular, a qual é sub-conscientemente armazenada dentro da consciência corpórea celular, progressivamente se torna disponível para o reconhecimento da percepção consciente.

Em seu atual continuum temporal, você tecnicamente possui metade de um ciclo remanescente dentro de seu ciclo temporal tri-dimensional no UH1. O campo morfogenético da Terra atraiu apenas metade dos padrões de frequência da terceira dimensão. Existe uma correlação direta entre quantos padrões de frequência a Terra atraiu em seu campo morfogenético e o tipo de consciência e biologia que irão aparecer na Terra naquele estágio de evolução. Nós chamamos a quantidade de frequência que a Terra atraiu em seu campo morfogenético, a partir dos campos dimensionais unificados, de seu Nível de Acresção.

A Terra está atualmente no nível de acreção 2,5: a Terra atraiu em seu campo morfogenético todos os padrões de frequência das Dimensões 1(D1) e 2(D2), e metade dos padrões de frequências da Dimensão 3 (D3). A Terra iria normalmente passar para os ciclos temporais do UH2 no nível de acreção 3. Normalmente, o nível de acreção 3 da Terra não seria alcançado até 4230 DC. As formas de vida em um planeta com um nível de acresção 2,5 irão ter uma consciência estacionada no nível 3,5. A consciência irá perceber como matéria sólida e realidade externa o nível do corpo da Terra que está uma dimensão completa/Quadrante acaixo do nível de acresção da consciência.

A consciência humana atual tem um nível de acresção médio de 3 a 3,5 , o que significa que os padrões de energia e atividade tendo lugar nas bandas de frequência inferiores a medianas da dimensão 3, entre um nível de acresção de 2 a 2,5 , dentro do quinto continuum temporal, aparecem como matéria sólida, e formas e eventos externos. A realidade terrestre externa presente representa os padrões de energia do corpo da Terra e o Campo Unificado nas bandas de frequência inferiores a média da dimensão 2 , no quinto continuum temporal, nos níveis de acresção de 2 a 2,5. De modo a perceber o nível de acresção de 2 a 2,5 da Terra como sólido, a consciência deve estar estacionada dentro das bandas de frequência inferiores a média da dimensão 4 em um nível de acresção de 3 a 3,5 (sétimo continuum temporal).

Quando está percebendo seu próprio corpo físico, e os objetos externos e atividade ao redor, você está vendo o conteúdo das pertículas de seu campo morfogenético pessoal, o campo morfogenético da Terra e o Campo Unificado, conforme estes existem dentro das bandas de frequência inferiores a médias da dimensão 3, nos ritmos de pulsação do quinto contínuo temporal, no nível de acresção de 2 a 2,5. Você percebe estas bandas de frequência como sólidas enquanto o conteúdo das partículas de sua consciência estiver estacionado dentro das bandas de frequência inferior a média da dimensão 4, no ritmo de pulsação do sétimo ciclo temporal , em um nível de acresção de 3 a 3,5. Você irá perceber as bandas de frequência medianas a superiores da dimensão 3, nos ritmos de pulsação do sexto ciclo temporal, no nível de acresção de 2,5 a 3, como “espaço interior”, a atividade tendo lugar “dentro de sua cabeça e corpo” , e a atmosfera envolvendo seu corpo e a Terra, o que dá para você a percepção do espaço entre os objetos.

A ilusão da percepção tr-dimensional é criada através desta tríada de velocidades de pulsação de partículas.A velocidade de pulsação/ ritmo das pertículas é criada conforme a substância-energia flue entre os campos de partículas tendo diferentes rotações angulares de partículas (spins) com relação uns aos outros. A consciência humana tri-dimensional e o corpo tri-dimensional da consciência da Terra são feitos de partículas que pulsam em três ritmos diferentes, e que existem em três diferentes posições de rotação angular. Estes campos de partículas formam três níveis de Campos Merkaba dentro dos quais e através dos quais a manifestação fisicamente aparente ocorre. Existe uma mudança de 90 graus na rotação angular das partículas (spin) entre os três Campos Merkaba, entre os três níveis da consciência humana e entre os três níveis do corpo de partículas da Terra. Os três níveis do corpo pessoal e do corpo da Terra representam três diferentes contínuos temporais, ou Oitavas, através dos quais as bandas de frequência dos Campos dimensionais Unificados são atraídas/acrescidas no campo morfogenético pessoal e o campo morfogenético da Terra. Estes três ritmos de pulsação de partículas estão sincronizados, e através desta dança dos spins das partículas e das pulsações, a consciência pessoal evolui com a Terra “para cima” através dos ciclos temporais da escala de 15 dimensões, progressivamente expandindo e elevando o nível de acresção.

O nível de frequências acrescidas no campo morfogenético pessoal irá determinar o nível de agrupamento de espirilas de DNA que você possui. Conforme você atraia mais bandas de frequência a partir dos Campos dimensionais Unificados, o seu nível de acresção se eleva, mais códigos de DNA se agrupam e se tornam operacionais dentro de suas espirilas de DNA, e sua consciência e campo perceptual se expandem.

Uma consciência com um nível de acresção de 3 a 3,5 possui um código de DNA com 3 a 3,5 espirilas agrupadas. O agrupamento de espirilas e o nível de ativação de DNA correspondem diretamente ao número de frequências dimensionais contidas dentro do campo morfogenético da consciência. O número de frequências dimensionais contidas dentro do campo morfogenético pessoal corresponde diretamente àqueles níveis dimensionais do corpo da Terra, e a que contínuo temporal, serão percebidos como realidade fisicamente manifesta, para aquela consciência. Se a sua quarta espirila de DNA estiver completamente agrupada, você terá um nível de acresção de 4, sua consciência estará estacionada na banda inferior da quinta dimensão e você irá perceber as formas-pensamento e os padrões de energia existentes dentro das bandas de freqüência inferiores da quarta dimensão como fisicamente manifestos, eventos externos. Estas formas-pensamento são os padrões de energia deixados para trás por você e pelas massas de pessoas, quando a sua consciência estava estacionada nas bandas de freqüência inferiores da quarta dimensão, quando você estava agrupando a quarta espirila de DNA.

Presentemente, a maioria dos humanos não possuem mais do que um nível de acresção de 3,5, um foco de consciência na parte inferior a mediana da quarta dimensão. Este nível de consciência corresponde a 3,5 espirilas de DNA ativadas, o que apenas permite que a consciência perceba os padrões de pensamento/ padrões de energia dos objetos e eventos a partir das bandas de freqüência inferiores a medianas da terceira dimensão como realidade física. Os campos de freqüência da dimensão 1 estão abaixo da faixa de percepção da consciência na quarta dimensão, e aparecem como uma escuridão interior. Os campos inferiores de freqüência da dimensão 2 aparecem como memórias passadas. Os campos de freqüência medianos a superiores da dimensão 3 aparecem como eventos mentais/perceptuais interiores, e formas-pensamento, e como a atmosfera da Terra e o espaço entre os objetos, a partir da percepção da quarta dimensão. Os campos de realidade das bandas de frequência mediana a superior da quarta dimensão e as dimensões superiores à quarta estão acima da faixa de percepção atual humana com consciência na quarta dimensão, e aparecem como memórias futuras e luzes interiores e exteriores. Conforme o DNA humano é agrupado, os campos de realidade das dimensões superiores surgem para a visão manifesta, e os campos de realidade das dimensões inferiores saem da faixa de percepção.

Conforme um campo dimensional comece a aparecer para a visão, este inicialmente aparece como padrões de pensamento interior que se tornam figuras mentais interiores feitas de luz. A qualidade conhecida como imaginação é, na realidade, a consciência trazendo para sua visão mental padrões de pensamento de dimensões superiores. As imagens, percepções e ponderações de imaginação representam formas-pensamento de dimensões superiores feitas de substância-energia, que estão localizadas nos campos dimensionais mais elevados pelo self do momento presente. Percepções imaginativas podem também ser padrões de pensamento dos aspectos da Identidade do Self futuro em dimensões superiores que “simplesmente aparecem” na percepção interior, conforme a percepção presente traga os campos de realidade das dimensões superiores no âmbito de sua visão interior. A qualidade conhecida como memória passada representa a consciência trazendo para a sua visão mental formas-pensamento e padrões experienciais a partir das bandas dimensionais abaixo de seu foco de atenção. Estas representam formas-pensamento dos aspectos da Identidade passada, presentemente focalizados nos contínuos temporais inferiores ou dentro de frequências inferiores do presente contínuo temporal. Os sonhos representam porções dos pensamentos e experiências que estão tendo lugar em ambos os campos dimensionais mais elevados/futuros e inferiores/passados dos contínuos temporais, entrando na estação de percepção do momento presente.

As bandas de freqüência inferiores a medianas da quarta dimensão, nas quais a consciência humana está presentemente estacionada, representam o fluxo de consciência do momento-agora, o qual é sempre o ponto do poder criativo pessoal. Os pensamentos mantidos no foco do momento presente da atenção consciente irão ser deixados como padrões de substância energética dentro das bandas de frequência nas quais estes pensamentos foram mantidos. Uma vez que o foco de atenção se moveu para além destes pensamentos para o próximo [pensamento], os padrões de pensamento deixados para trás se tornam campos morfogenéticos, e o foco de atenção do momento-presente se move para a frente no próximo agregado de bandas de frequência.

O processo de se mover para a frente através do tempo é o processo de progressivamente acrescer as frequências de som em seu campo morfogenético pessoal. Conforme você passa sua consciência através do ponto do momento-presente, esta internaliza tudo o que está contido dentro do momento manifesto como um minúsculo programa eletro-digital feito de frequência. O processo de internalizar aquele momento no tempo expande seu campo morfogenético, o que cria uma sutil aceleração no ritmo de pulsação de partículas das quais seu corpo e consciência são compostos. Esta aceleração do ritmo de pulsação perceptualmente e energeticamente move você-como-consciência em direção ao próximo agrupamento de bandas de frequência. As bandas de frequência do momento prévio internalizam e saem de sua visão, conforme o conjunto das bandas de frequência diretamente “acima” estas que saíram se tornam seu próximo momento-presente de seu foco consciente. Movimento através do tempo é acresção de frequência. A ilusão manifesta que você percebe na frente de seus olhos é, na realidade, um Campo Unificado de frequência, composto de substância-energia particulada na forma de padrões de pensamento eletro-tonais digitais. Cada coisa e pessoa fora de você mesmo, incluindo seu corpo, e os conteúdos de sua mente consciente naquele momento pontual , existem como padrões de energia dentro do Campo Unificado daquele momento-presente. Se você puder ensinar para si mesmo a perceber cada momento de sua realidade externa como um cenário-de-sonho que está se manifestando através de sua consciência, você irá se aproximar a conscientemente sentir o fluxo de consciência através do qual sua realidade externa manifesta-se diretamente através de você. Assim como seus sonhos internos parecem ocorrer dentro de sua consciência enquanto você participa dentro dos mesmos, sua realidade externa também é um cenário-de-sonho, criado por sua consciência, através da qual partículas de energia assumem a forma das formas-pensamento que irão posteriormente se tornar manifestas. Você está andando dentro dos confins de um sonho coletivo massivo, e quanto mais rápido você puder compreender este conceito, mais cedo você irá exercer um controle consciente sobre a forma na qual sua parte pessoal deste sonho coletivo massivo irá assumir.

Cada vez que você pensa um pensamento, você está deixando um padrão morfogenético dentro das bandas de frequência nas quais sua consciência estava estacionada. Você irá acionar aquele padrão de pensamento, em combinação com outros a partir da consciência coletiva, como uma manifestação na realidade física. Os campos morfogenéticos são padrões mantenedores de formas através dos quais a matéria se forma e os eventos se manifestam. Quando um campo morfogenético é criado, este começa a atrair padrões de frequência para si, expandindo, acrescendo, e “encarnando-se a si mesmo na matéria”. Você já considerou para onde vão os pensamentos quando sua atenção os deixou? Parte do que aparece para você como a realidade manifesta agora, a partir de sua estação de atenção na quarta dimensão, representa suas formas-pensamento, e aquelas das massas coletivas, que foram deixadas para trás como campos morfogenéticos quando seu foco consciente de atenção estava estacionado na dimensão inferior à de seu presente foco. Parte do que voce vê na frente de seus olhos representa as formas-pensamento vivas de seus eus passados (desta encarnação e daquelas anteriores), e aquelas das massas. Seus pensamentos se tornam campos morfogenéticos dentro do campo morfogenético da Terra, plantados dentro das bandas de frequência nas quais sua consciência está presentemente estacionada, deixados dentro de seu ciclo temporal presente, para serem redescobertos como objetos manifestos e eventos, uma vez que sua consciência evoluiu além dos mesmos.

Uma outra parte daquilo que você percebe na frente de seus olhos representa as formas-pensamento coletivas de seus eus futuros, cujos focos de atenção estão estacionados em coordenadas espaço-temporais na frente daquelas na qual sua consciência presente está focalizada. As formas-pensamento se expandem, para trás e para a frente no tempo, para cima e para baixo na escala dimensional, a partir da posição na qual a forma-pensamento foi criada. Sua presente ilusão manifesta é composta das formas-pensamento dos seus eus passados e futuros, e as formas-pensamento que você presentemente conserva. Uma forma-pensamento colocada em uma dimensão irá se alinhar com a substância-energia de todas as dimensões inferiores, em uma versão deste padrão; o pensamento estabelece um campo morfogenético em cada uma das dimensões inferiores. O pensamento também irá se agrupar com pensamentos similares a partir do futuro, as bandas de frequência das dimensões superiores, e estabelecer um padrão morfogenético de si mesmo em todas as dimensões superiores. Assim, o pensamento se expande para trás e para a frente no tempo.

Cada pensamento que você pensa agora se combina com pensamentos similares dos eus passados e futuros, para dar para você a ilusão manifesta que você presentemente percebe. Similares pensamentos e ações atraem e re-manifestam similares pensamentos e ações. Seus pensamentos e ações passadas irão se apresentar em sua realidade presente, mas você tem o poder absoluto de modificá-los, usando seu presente foco de atenção para criar novos pensamentos e re-projetar aqueles que são indesejáveis , sejam estes vindos do passado, presente ou futuro. Formas de pensamento a partir de seus eus passados, os quais são compostos de partículas pulsantes mais densas e de menor ritmo de pulsação, se manifestam dentro da estrutura celular de seu corpo . Isto frequentemente é referido como seu padrão kármico ou débito kármico. Estes padrões de pensamento dos eus passados irão permanecer no corpo, e se replicarem a si mesmos no presente e no futuro, até que as partículas de pulsação mais lenta daqueles padrões de pensamento sejam elevadas em velocidade e liberadas a partir dos padrões de frequência dos quais o corpo é composto. Você tem o poder, em seu presente momento, de mudar qualquer padrão de pensamento de seu passado, presente e futuro, e ao assim procedendo você irá mudar os contornos de sua realidade presente.

Você pode se tornar “imune ao karma” uma vez que tenha aprendido a maestria deste poder, porque você irá treinar a sua consciência a se mover para trás e para a frente no tempo, para recriar eventos indesejáveis e reprojetar resultados mais desejáveis. A forma lenta de liberar padrões de pensamento com pulsações mais lentas e seus desconfortos manifestos em sua vida é esperar até que os eventos se manifestem na realidade externa, ou como condições de doença dentro do corpo. Quando você toma a ação no presente para criar uma solução presente, e aquela solução se expande para trás e para a frente no tempo para criar algum grau de resolução do padrão no passado e futuro. Este é o comum caminho de “caminhar através de seu karma”, ou de caminhar através dos padrões de pensamentos acumulados de seus eus passados, presentes e futuros. A forma rápida de mudar seu padrão kármico é apanhar estes padrões de pensamento com pulsações mais lentas antes que estes se movam até se manifestarem. Isto é mais fácil de dizer do que fazer, mas não é excessivamente difícil de se fazer, uma vez que você tenha treinado sua consciência para manipular a energia de certas formas. Padrões de pensamento a partir do passado ou futuro se tornam parte da constituição particular de sua consciência, campo bio-energético, corpo, DNA e campo de realidade externa. Estes se tornam armazenados no DNA como minúsculas cristalizações de energia, as quais inibem os processos naturais de agrupamento das espirilas de DNA.

Os padrões de pensamento cristalizados armazenados em seu DNA e padrão celular irão continuar a se manifestar dentro de seu corpo e na frente de seus olhos até que você aprenda a encontrá-los e liberá-los enquanto estes ainda se encontram dentro do padrão de Memória Celular de seu corpo. Isto é fácil de se fazer, com a prática.

Para liberar seus padrões de pensamento cristalizado a partir de seu DNA e padrão de memória celular, por favor refira-se ao Exercício de Campo 1, na página 495, e o pratique agora. Através de exercícios desta natureza você está aprendendo a conscientemente modular o ritmo de pulsação das partículas das quais sua consciência é composta, treinando sua consciência do momento presente a se mover para cima e para baixo na escala multi-dimensional.

Você está treinando sua consciência para viajar no tempo, para frente e para trás no tempo, de modo que você possa começar a diretamente afetar os padrões de pensamento coletivos de sua identidade estacionada em outras coordenadas espaço-temporais. Você está começando a treinar a si mesmo no controle da manifestação dos eventos externos, pela maestria da dinâmica energética interna através da qual estes eventos se manifestam.

Nós demos a vocês este exercício porque o mesmo é uma das formas mais rápidas e eficientes de limpar o “padrão kármico” dos padrões de pensamento cristalizado com pulsações lentas das células de seu corpo e do DNA. Isto é extremamente importante de se fazer se você planejar acelerar o agrupamento e ativação das espirilas de seu DNA. Conforme você começe a trabalhar com energias da banda de Frequências Ultra-Elevadas (UHF) a partir dos centros dos chakras superiores (o que iremos ensinar a fazer nos livros subsequentes), estas energias começarão a rapidamente liberar as cristalizações das formas-pensamento com pulsações mais lentas das células de seu corpo e o DNA. Conforme isto ocorra, o “padrão kármico” ou programa de manifestação de evento, contido dentro das cristalizações das formas-pensamento irão começar a se manifestarem a si mesmos em eventos pessoais, externos, e dentro da forma do corpo físico. Se a mente e o corpo humanos não estiverem preparados para sintetizar as frequências de energia liberada a partir da forma-pensamento, a pessoa pode se tornar extremamente doente em termos físicos, ou os corpos mentais e emocionais podem se tornar seriamente desequilibrados. Os eventos externos do conteúdo da vida do indivíduo e seus relacionamentos também podem ficar caóticos durante as rápidas ativações celulares, como múltiplos dramas kármicos começando a se manifestar em cada mudança ocorrida. Quando você participa na evolução acelerada do DNA você está rapidamente mudando e elevando os padrões de frequência dos quais seu corpo e consciência são compostos. Esta mudança rápida na frequência pode aparecer como completo caos em termos de condições e eventos externos.

Embora o resultado final destas ativações celulares é a reestruturação de seu corpo, consciência e dramas de vida numa ordem mais elevada e níveis de paz, harmonia e saúde, o processo de “chegar lá” rapidamente pode ser muito traiçoeiro (incerto) de fato. Quando se usa exercícios tais como o fornecido, você está aprendendo a tomar controle deste processo de modo que o mesmo não tome controle de você. O ponto no qual você quebra a cristalização da forma-pensamento e sua energia é liberada, é o ponto que o padrão kármico iria normalmente começar a se manifestar no corpo e eventos externos. As ativações de DNA em si te levam até este ponto. Contudo, no exercício, você toma então a energia liberada, a transmuta através dos padrões de frequência das dimensões 5 e 8, (a imagem do “sol”) e a projeta diretamente no DNA. Fundindo a energia do padrão kármico com as frequências da oitava dimensão serve para elevar as energias para os níveis mais elevados de harmonia e ordem. Esta energia ordenada é então posicionada diretamente no DNA, onde pode se fundir sem obstruções com os padrões das espirilas operacionais. Isto irá estimular mais ainda o agrupamento e ativação das espirilas de DNA, mas de uma forma ordenada que não cause rupturas excessivas em seus campos bio-energéticos, e que não impulsione sua vida num caos.

Nas ativações celulares, a energia irá liberar o nível de frequência no qual a cristalização da forma-pensamento existiu, enviando um fluxo de energia fotônica através do corpo naquele nível de frequência. A energia irá então indiscriminadamente alterar a ordem existente de energias naquela área, uma condição que irá manifestar como energias caóticas se movendo através do campo bio-energético, corpo, e consciência, então na manifestação. Este exercício controla a liberação de energia e a direciona em uma ordem harmoniosa.

Aprender a dirigir energias mentais, e aquelas energias liberadas a partir das cristalizações de formas-pensamento irá se tornar uma necessária habilidade para a sobrevivência num futuro próximo, esteja o indivíduo num caminho de ascensão ou não, ou interessado em atividades espirituais.

A Terra está entrando num ciclo de ascensão e período de aceleração, sua rede irá ser infundida com energias de Frequência Ultra Rápid(UHF) das Dimensões 5 até a Dimensão 9, através de um processo de Ativações estelares. As Ativações Estelares irão ocorrer conforme os Campos Merkaba da Terra se alinhem diretamente com os Campos Merkaba de seis Espirais Estelares, como parte natural da precessão Terrestre através do Ciclo Temporal Euiago de 26.556 anos. Todos no planeta irão começar a ter ativações celulares diretamente através da Rede Terrestre, devido aos vindouros alinhamentos com as Espirais Estelares e as Ativações Estelares planetárias que estes alinhamentos irão criar.

O campo bio-energético humano está diretamente conectado com o campo bio-energético da Terra, e quando as infusões de energia das Ativações estelares começarem a fluir através da Rede Terrestre, progressivamente acelerando-se entre o período de 2000 a 2017 DC, o corpo humano também irá receber estas infusões de energia. Estas infusões de energia irão causar uma rápida liberação dos padrões de pensamento cristalizados armazenados nas células, e irá desencadear rápidas ativações de DNA, agrupamento e expansão de consciência.

As cristalizações de formas-pensamento mantidas dentro do corpo, desconhecidas para a personalidade consciente, irão começar a liberar suas energias conforme o ritmo de pulsação das partículas do corpo da Terra progressivamente aumentar entre 2000 a 2017 DC. Seu DNA e Memória Celular irão ativar, esteja você preparado ou não, e independente de seu corpo e mente estarem ou não preparados para sintetizar estas novas frequências de energia. O menos preparado poderá descobrir que todo o seu drama de vida começa a se desmoronar e fragmentar, a saúde de seus corpos físico e mental rapidamente se deteriorando e suas emoções explodindo em um caos. Não estamos jazendo piadas e nem exagerando.

Esteja preparado. Aprenda a dirigir estas energias agora, antes que as mesmas te sobrepujem. Sua sobrevivência e habilidade para permanecer centrado e efetivo no trato com os eventos externos irá depender do desenvolvimento destas habilidades de dirigir estas energias sutis. O exercício fornecido é um bom lugar para se começar. Em 2012 DC infusões de energia muito intensas das Ativações Estelares irão começar, portanto sugerimos que você comece a se preparar agora, já que estas habilidades demandam um pouco de tempo e prática para se desenvolverem. Nós recomendamos que você limpe a maior quantidade possível destes padrões kármicos ocultos antes de 2012 DC, quando os mesmos irão começar a rapidamente explodir na manifestação física.

Fonte: “Voyagers- The Secrets of Amenti- Volume II of the Emerald Covenant CDT Plate Translations” – Ashayana Deane- second edition- Wild Flower Press- 580 pags.
páginas 146 a 156
ISBN 1-893 183-25-4- www.azuritepress.com/ www.5thworld.com/

Anúncios

A história dos Kogi: As crianças dos próximos mil anos

A história que vocês estão prestes a ler é verídica, mas também incomum. Tanto que, se vocês não tiverem a mente aberta, ela parecerá impossível. E se vocês não tiverem um coração aberto, a história não será sequer compreendida para que possa ser vivida.

“Ao entardecer, dizeis: haverá bom tempo porque o céu está rubro. e pela manhã: hoje haverá tempestade porque o céu esta vermelho-escuro. Hipócritas ! Sabeis, portanto discernir os aspectos do céu e não podeis reconhecer os sinais dos tempos” – Mateus, 16: 2,3

Crianças Kogi por Drunvalo Melchizedek

Drunvalo Melchizedek

Drunvalo Melchizedek é um homem gentil e generoso, que “entrou” no seu corpo físico adulto em 1972 e que conserva plena memória através de diferentes existências e de dimensões variáveis de consciência. Ele é um consumado cientista, físico, inventor, curador, escritor e professor.

Seu principal propósito ao vir para nosso mundo tridimensional neste momento é ajudar a população da Terra a fazer uma transição suave através da vindoura Mudança das Eras.

Nos últimos anos, tenho estado na Península do Yucatán várias vezes trabalhando com o xamã maia Hunbatz Men. Ele tem realizado nos tempos que correm as cerimônias dos antigos sacerdotes maias para trazer e estabilizar as novas energias de nosso Sol — energias que nunca entraram na Terra e que estão alterando a maneira de como percebemos a vida.

Seu trabalho é muito importante para o desenvolvimento do novo mundo na Terra e para o nascimento de nossa nova consciência.

tribo aborígine KogiAlguns meses atrás, um homem chamado Ellis, que trabalhava junto de Hunbatz Men, veio ter comigo e começou a me contar esta história. Ele disse que na Colômbia, nas profundezas da floresta amazônica, havia uma tribo aborígine chamada Kogi. Não tinham idioma e “falavam” uns com os outros apenas telepaticamente.

Na verdade, eles produziam pequenos sons, que não eram, contudo, organizados de forma lógica num padrão, tal como um alfabeto. Eram meramente sons, mas que vinham do coração, não da mente, e criavam imagens na cabeça da pessoa, de forma que ela conseguia “ver” o que a outra estava comunicando.

Ellis disse que sem dúvida eles eram capazes de viajar fora do corpo e sabiam tudo o que estava acontecendo ao redor do mundo, embora nunca tivessem fisicamente saído de sua terra natal, a imensidão da floresta amazônica. Nunca tinham sequer tentado se comunicar com o mundo externo, exceto com um uns poucos afortunados.

Os Kogi não nos vêem como se estivéssemos “dormindo,” como em muitas religiões hindus e orientais nos percebem. Os Kogi nos vêem como se estivéssemos “mortos”. Nós NÃO estamos vivos, somos, sim, apenas sombras da energia que poderíamos ser.

Cristo e crianças“Cristo, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os MORTOS (em consciência, mesmo estando vivos em corpo humano) sepultar os seus mortos”. Mateus 8:22

Não temos bastante consciência e consequentemente energia de força vital para sermos por eles classificados como pessoas reais (“Vivas”). Os Kogi acreditavam que, com o uso de suas capacidades psíquicas, podiam ver claramente o futuro. E o que viam era semelhante ao que muitas outras tribos em todo o mundo também viam: um mundo que estava prestes a ser destruído pelo mau uso (ou ausência quase total) da consciência.

Então, há algum tempo, eles viajaram por todo o mundo em seus corpos de luz procurando alguém que estivesse vivo. Em todo o mundo, conseguiram encontrar só mais uma tribo, cujos integrantes eram maias e moravam nas profundezas das florestas da Guatemala. Ficaram muito contentes por descobrir mais gente “viva”.

Mas segundo a crença dos Kogi, sua profecia, com a vinda do Eclipse em 11 de agosto de 1999, todo o mundo pararia, e só os Kogi e esta outra tribo maia sobreviveriam para habitar a Terra. Por isto ficaram tão felizes ao encontrar alguém, além deles, que compreendia o momento.

Então, quando o eclipse lentamente revelou sua face em 11 de agosto, ficou claro para os Kogi que algo acontecera desde a época em que vasculharam o mundo em busca de vida, algo que eles não conseguiam entender. Pois a “grande mudança” acontecera, e nós, os mortos, ainda estávamos aqui. Deveríamos ter nos dissolvido, voltando a ser apenas Sonho. Não que eles quisessem isso, não era essa sua natureza. Simplesmente deveria acontecer.

Então, os Kogi se puseram a tentar descobrir por que os mortos ainda estavam na Terra, e à medida que vasculhavam os registros vivos e vibrantes desta Realidade, encontraram exatamente onde acontecera e por que acontecera.

Alguns dos mortos tinham ganhado vida e criado um sonho que continha força vital suficiente para salvar o mundo (quase morto) que conhecemos. Segundo nossas condições, alguns de nós tínhamos criado um mundo paralelo no qual a vida poderia continuar a crescer, um mundo no qual os mortos (inconscientes) poderiam se tornar vivos (conscientes). Os Kogi foram específicos, localizando exatamente quem eram estas pessoas que estavam criando esta mudança que alterara o destino do mundo.

Os Kogi viram estas pessoas com corpos vivos de luz à sua volta, pessoas que tinham ativado seus corpos de luz, ou em termos antigos, sua MerKaBah.

Como fui um dos professores que transmitiram estas informações, os Kogi enviaram um mensageiro a Ellis e de Ellis para mim. Eles me enviaram um pouco de tabaco embrulhado num pedaço de algodão vermelho vivo, dizendo simplesmente: “Obrigado.”

Alguns meses depois, os Kogi mandaram a Ellis outro presente para me dar com uma mensagem. O presente era uma pequena bola feita de resina de árvore escura e pegajosa mais ou menos do tamanho de uma ameixa. Tinha cheiro da floresta. Havia neste presente de resina uma energia que eu sentia em minhas profundezas. Eu sentia a ligação em meu coração.

A mensagem dizia que eles enviariam alguém para me ensinar a falar sem palavras de forma que pudéssemos nos comunicar. Disseram então que, quando a ligação e a comunicação fossem estabelecidas, pediam que eu entrasse na floresta colombiana e visitasse sua tribo. E que se eu visitasse o mundo deles, eles visitariam o meu.

Menina floresEstariam então preparados para, pela primeira vez na história de sua tribo, sair da floresta, e aparecer na televisão no mundo todo, nada menos, para falar conosco — seja qual for o significado de “falar,” visto que, pelo que sabemos, eles não têm idioma, embora eu não tenha certeza. E o que têm a dizer, também não sei. Mas por meio deste pequeno pedaço de resina de árvore, estou começando a sentir.

Quando Ellis foi embora depois desta segunda visita, sentei-me a pensar em todo este acontecimento. Era verdade que os Kogi conseguiam ver com tanta clareza a Realidade? Iam realmente enviar alguém para me ensinar a falar sem palavras? O que realmente significava tudo aquilo? Meditei com os anjos, mas eles simplesmente aprovaram o que estava acontecendo e não me deram informações nem assistência.

Então, no mês passado, no dia 10 de novembro, dei um seminário Terra/Céu no (cidade do) México. Vieram aproximadamente 100 pessoas de todo o México, América Central e do Sul, e um dos países do qual veio muita gente foi a Colômbia. Neste grupo havia uma jovem cujo nome vou omitir para protegê-la.

Era diferente de todos os outros colombianos. Sempre que entrávamos num espaço sagrado e sentíamos a presença de Deus, ela começava a aparentemente enlouquecer de êxtase. Não que isso fosse realmente incomum, mas era extremo.

Esta mulher se tornava primitiva. Todo seu corpo começava a tremer, e uma pessoa diferente emergia dela, fazendo com que suas palavras produzissem uma sensação diferente e ela apresentasse uma linguagem corporal diferente. Eu a observava, buscando a razão por que ela fora ao seminário e procurando uma maneira de ajudá-la.

Então, no último dia do seminário, aconteceu. O grupo formara um grande círculo, e estávamos cantando para Deus. Esta moça se desligou do círculo e começou a dançar de maneira primitiva e desinibida no centro do círculo. Abandonou-se e pareceu perder o controle.

coração-pulsandoFui até ela e peguei-lhe a mão para confortá-la, ela agarrou minha mão e me olhou fundo nos olhos, fazendo um som suave e veemente. O som foi diretamente ao meu coração e vibrou exatamente em meu centro, e consegui “ver” o que ela estava dizendo. Eu nunca experimentara coisa parecida. Naquele momento, não entendi o que estava realmente acontecendo. Meu coração simplesmente reagiu.

Sentir com o CORAÇÃO é a chave…

Levei-a para fora do círculo e me sentei olhando-a. Então, ela fez outro som, e meu corpo respondeu com um som semelhante que nunca viera de mim. Instantaneamente estávamos conversando de uma maneira nova e profunda, tão bela, tão completa.

Fazia todos os idiomas do mundo parecerem inadequados e obsoletos. Durante duas horas, comunicamo-nos por meio de imagens plenas de cor e profundidade, com toda a completitude sensória da vida real. Aprendi muito. Aprendi sobre a vida, e aprendi sobre aquela mulher dentro de uma mulher.

Por meio de seus sons, ela me mostrou de onde viera, uma pequena aldeia vizinha à tribo Kogi. Mostrou-me seu marido e seus três filhos. Conheço-os como se fossem minha família. Levou-me a visitar sua aldeia, quando conheci outros dois homens mais velhos que eram da tribo Kogi. Mostrou-me como sua tribo lhe pedira para entrar no corpo desta mulher e vir me ver.

Ela fora instruída a ensinar-me a falar sem palavras. Disseram-lhe que, assim que tivesse feito só esta única coisa, poderia sair do corpo desta mulher e voltar para casa e ficar com sua família. Sentia muita saudades do marido e dos filhos. Pude “ver” como, quando aquela moça voltasse para casa, ela sairia deste corpo. Pude ver seu próprio corpo deitado sobre um monte de capim dentro de uma cabana de sapé esperando este momento.

Quando voltei para casa, vi minha mulher, Claudette, a quem amo tanto, sob uma luz nova. Amava-a de modo diferente, porque podia ouvir os sons vindos de seu coração. Podia ver sua dor e sua alegria. Eu estava tão contente por causa desta experiência com os Kogi, mas ainda não sabia o que estava acontecendo comigo. Parecia trazer uma grande expectativa de algo por vir.

Então, duas semanas atrás, dei um seminário Terra/Céu em Maryland. Enquanto estava me arrumando e preparando para o seminário, contei esta história a uma mulher chamada Diane, que estava ajudando no seminário. Ela perguntou se eu iria demonstrar estes sons. Concordei em fazê-lo.

Sentamo-nos de frente um para o outro, e pedi-lhe que fechasse os olhos. Então veio um som de meu coração e no mesmo momento uma imagem apareceu em minha mente. Era a imagem completa de um gato grande, uma suçuarana (onça), caminhando à margem do Amazonas, perto da água. Então saltou para uma árvore e começou a andar na beira de um galho longo e pesado que lentamente se inclinou até o chão. O felino saltou de volta ao chão e continuou a caminhar à beira da água. Abri os olhos. Tudo isto só durou cerca de um minuto.

alegria no coracaoPerguntei a ela o que vira, e ela começou a me contar exatamente o que eu tinha visto. Descreveu tudo perfeitamente. Uma alegria brotou em meu coração.

Então, pedi-lhe que fechasse os olhos novamente. Outro som lento e estranho veio de meu coração, e instantaneamente outra imagem. Eu não apenas vi, como também experimentei o que parecia ser eu mesmo, saindo flutuando do corpo da mulher da Colômbia e me erguendo no ar. Então, senti que começava a voar muito rápido por cima da floresta. Via as árvores se movendo rapidamente abaixo de mim.

Cheguei rapidamente a uma aldeia, e senti que descia para mais perto do chão, na direção de uma cabana de sapé específica. Logo depois, eu estava dentro do corpo desta mulher da tribo, olhando o mundo pelos seus olhos. Ela sabia que eu estava lá. Ela não se importou; devia acontecer.

O marido rapidamente segurou a mulher/a mim, obviamente feliz por ela/eu ter voltado. Ele também sabia que eu estava lá e também estava muito contente. Então, todos os três filhos dela vieram correndo e começaram a abraçá-la e acarinhá-la. O mais jovem veio e começou a mamar em seu peito. Foi uma experiência muito comovente encontrar esta família que eu não conhecia, e no entanto conhecia. Então abri os olhos.

Esperei um momento para me centrar depois desta experiência, e então perguntei a Diane o que ela vira. Começou dizendo que se experimentara como um “bicho” a sair do corpo desta mulher. Então se ergueu ao céu e começou a voar sobre as árvores de uma floresta. Ela observou como descemos para a cabana de sapé e nos encontramos com a família. Viu tudo perfeitamente.

Fiquei longo tempo sentado. Podia sentir que estava diante de uma dádiva de valor incomparável. Mas o que significava para mim ou para o mundo? Tudo foi uma experiência tão incomum que ainda não sei o que significa.

Quando voltei para casa, depois do seminário de Maryland, todas as noites, nos primeiros sete ou oito dias, de repente, dava comigo sonhando que estava “em casa” nesta aldeia. O sonho durava a noite inteira, e me lembrava de todo ele na manhã seguinte. Sonhava que estava fazendo minhas tarefas na aldeia e levando minha vida, cuidando de meus filhos e marido. Muitos, muitos homens das duas tribos vinham ter comigo, fazendo-me perguntas por meio de sons que produziam imagens.

Eram pessoas lindas e, sim, estavam todas “vivas.” Compreendi por que nos consideravam mortos. Eu podia “sentir com a visão de meu coração” o que elas queriam dizer. Sabia que tinham intenção de ajudar se pudessem. Estavam espantadas por eu estar lá. E eu também.

Crianças KogiAgora, isto é só o começo. Os Kogi estão entusiasmados com a maneira como estamos crescendo. Querem vir a nós. Se Deus quiser, eles virão. Pediram-me agora para lhes dar uma mensagem em seu idioma se vocês puderem aceitá-la — vocês descobriram seus corpos de luz e estão mudando o mundo por meio de suas vidas.

“Vocês estão mudando o mundo, transformando-o em luz. Não tenham medo de sua inocência e de sua natureza infantil; estão perto de Deus. Deixem sua imaginação pairar, entrando num Sonho no qual o amor envolve todos os acontecimentos, então vejam-no como real. Deixem que os sons de seus corações falem com os que não estão vivos. Vocês lhes mostrarão o caminho por meio de seu exemplo. Agora mostrem-lhes o caminho a partir de dentro. Escutem, e seu coração falará. Estamos com vocês agora. Vamos ajudá-los.”

Que os próximos mil anos sejam dourados, e que as crianças inocentes mostrem o caminho. Eu amo vocês.

Enviado em Agosto 2014. Drunvalo Melchisedek.

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” Mateus 5:5

Leia também: Quem é você realmente? GANGAJI

 

Eu sou Magali Silvestre e fui orientada por meus guias a compartilhar este conhecimento

O ritmo dinâmico entre setênios e nonênios

Por Josef David Yaari 

“Assim é bem conhecido o primeiro acordar para si mesmo em torno dos 3 anos de idade, a nova redescoberta de si aos 6 anos e o sentimento de estar só consigo mesmo aos 9 anos. Esses processo tem sua evolução bem interessante até os 90 anos de idade. E os espelhamentos entre as fases podem ser observados até no espelhamento dos números: De 0 a 9 anos (período da ingenuidade) se espelham os 90 anos (período da inocência); 9 a 18 anos (período do aprendizado) espelham os 72 a 81 (período do assombro), 18 a 27 anos (período da luta) espelham os 63 a 72 (período do exercício da liberdade)…”

O contínuo exercício de vivencia das diversas dinâmicas possíveis entre os setênios e os três triênios de cada fase, amplia em muito a compreensão e resolução dos desafios que cada biografia nos propõe. E podemos apreender com cada biografia as leis inerentes e os aspectos característicos de cada fase da vida, entendendo que essas elaborações de setênios e nonênios representam simbolizações eficazes de possíveis campos integrados de ordenação, entre muitos outros.

Estaremos a seguir descrevendo muito mais dos setênios por serem estes muito mais generalizados e inseridos na dinâmica dos nonênios, lembrando assim que cada pessoa revela sua forma única de expressão.

Pois normalmente os estudos biográficos se concentram na descrição e estudo dos setênios. É uma antiga tradição oriental que acabou sendo assimilada pela cultura grega na qual, de fato, as fases da vida foram divididas de sete em sete anos, iniciando-se pela infância (0 a 7 anos), passando pela juventude (7 a 14 anos) e chegando à adolescência e seu desenvolvimento (14 a 21 anos) para que a pessoa pudesse ser considerada “maior de idade” ou responsável por si mesma. E essa visão das fases da vida se mantém até hoje na ordenação jurídica em todos os países.

Mas o estudo dos setênios continua depois dos 21 anos. Pois após a “maioridade” jurídica ocorrem outros motivos típicos das pessoas com 28, 35, 42, 49, 56, 63… anos de idade. Cada fase tem aspectos muito diferentes e podem então facilitar a compreensão das escolhas e mobilizações que são feitas. Essa compreensão, logo de início, nos faz entender que um “contrato” feito aos 20 anos, como, por exemplo, um casamento, tem motivos e aspectos muito diferentes aos 40 anos!

E compreender isso, nos obriga a reconsiderar regularmente nossos compromissos, acordos, contratos e celebrações que não podem se manter na mesmice e num quotidiano que empobrece as possibilidades de expressão de nossa individualidade.

Estudando e trabalhando com os Seminários Biográficos, fui descobrindo que os setênios estavam inseridos no ritmo mais amplo que se demonstrou por períodos de nove anos. Fui assim levado a elaborar o ritmo dos nonênios que se mostrou uma ferramenta muito eficaz para a compreensão das leis biográficas, ainda mais por percebermos mudanças significativas a cada triênio (Três triênios completam um nonênio).

Assim é bem conhecido o primeiro acordar para si mesmo em torno dos 3 anos de idade, a nova redescoberta de si aos 6 anos e o sentimento de estar só consigo mesmo aos 9 anos. Esses processo tem sua evolução bem interessante até os 90 anos de idade. E os espelhamentos entre as fases podem ser observados até no espelhamento dos números: De 0 a 9 anos (período da ingenuidade) se espelham os 90 anos (período da inocência); 9 a 18 anos (período do aprendizado) espelham os 72 a 81 (período do assombro), 18 a 27 anos (período da luta) espelham os 63 a 72 (período do exercício da liberdade)…

Dessa forma o trabalho da Pedagogia Clínica Biográfica se expressa de uma forma dinâmica que parte da observação dos nonênios na história de vida das pessoas, acompanhando seus processos com o ritmo dos setênios. Esta prática tem ampliado em muito os Seminários Biográficos, até porque estabelece assim uma nova psicologia do desenvolvimento.

Assim, acompanhando este quadro, podemos descrever primeiramente os nonênios com as seguintes observações, ficando desde já claro que estamos aqui descrevendo os períodos com o que pode ocorrer de positivo, como proveito otimizado das fases da vida:

0 a 9 anos: Período do crescimento
O indivíduo estabelece sua base física e adaptação de sua estrutura física como instrumento da realização de seu destino;

9 aos 18 anos: Período do aprendizado
Inicia-se o exercício da estrutura adquirida e a formação fundamental da expressão psicológica;

18 a 27 anos: Período de luta
A pessoa experimenta o mundo interno e externo por meio de várias atividades diferentes no trabalho, na vida afetiva e em seus contatos sociais, com todo cabedal elaborado nos dois períodos anteriores;

27 aos 36 anos: Busca da estabilidade
Agora se torna urgente a relação do indivíduo com o mundo em seus aspectos físicos, psicológicos e espirituais por meio da clara escolha profissional, afetiva e social. Todos nesta idade buscam planejar toda sua vida de uma forma própria de se colocar no mundo. É o período em que, geralmente, as pessoas trabalham mais do que em outras fases da vida;

36 aos 45 anos: Período das rupturas
Sentimento de urgência. As “máscaras” elaboradas como colunas mestras na conquista da estabilidade precisam ser superadas pela urgência da busca do si mesmo. As armaduras precisam ser substituídas por roupagens mais confortáveis que possam proporcionar maior mobilidade para tudo que agora precisa ser feito;

45 aos 54 anos: Metamorfoses
O indivíduo, agora, reúne o que restou das rupturas, elabora novas formas e busca em si mesmo a força para a reelaboração de seu caminho de vida. A ternura pode ser assumida e é, sem dúvida, a guia para o caminho maior;

54 a 63 anos: Aprendizado da Sabedoria
Agora chega o momento em que se reconhece o valor de se sagrar, celebrar cada ato, cada momento, como comemoração de se ter superado e feito a passagem pelos diversos limiares na lapidação do ser;

63 aos 72 anos: Exercício da Liberdade
O indivíduo sente que pode viver sem as grandes pressões do quotidiano de todos e pode, então, dedicar-se a algo completamente diferente, novo, com a liberdade de compreender a vida de muitos modos diferentes;

72 a 81 anos: A experiência diária com o Assombro
Chega esta fase na qual se percebe que todas as explicações são formas redutoras da realidade. O sentimento e a percepção é que tudo é muito mais amplo, tudo é muito mais. Vive-se o espanto e o assombro pela magnitude da vida.

81 a 90 anos: A experiência da Inocência
Compreendo a vida como o caminho que se faz partindo da ingenuidade para a descoberta da inocência. Quando trabalhei com pessoas que estavam nessa fase, me chamou atenção exatamente isso: Estas pessoas sabiam das maldades e das espertezas, mas buscavam se manter acima e cultivar a bondade e o amor.

Fica óbvio que quando estas expectativas otimizadas não ocorrem, a pessoa vive algo que está entre estas e o polo oposto, ou seja, pode não haver o crescimento esperado, o aprendizado equivocado, a luta mórbida, a falsa estabilidade, a ruptura apenas aparente e assim por diante.

O ritmo dos nonênios pode ser estudado pelo acompanhamento dos triênios, ou seja, em cada nonênio há três triênios que ajudam a compreender com maiores detalhes as possibilidades de conquistas ou questionamentos vividos.

Este ritmo mais amplo dos nonênios, contem em si o ritmo dos setênios que, como dissemos acima, nos remete a uma tradição oriental de mais de cinco mil anos, sendo estabelecida até como ordem jurídica na Grécia. Assim, até hoje, a pessoa é considerada plenamente responsável por seus atos a partir de seus 21 anos de idade.

Então, em relação ao estudo dos setênios, retomei como base um texto que escrevi e que está publicado em meu livro “Psicologia da Metamorfose” editado em 1989 pela Hermes Editora.

Embora muito questionável, a sabedoria popular afirma que “nós adultos, a cada sete anos, somos acometidos de “comichão” e “formigamento”. Apesar de ser uma caracterização simplória, existem muitos fatos, estatísticas e relatos que vem confirmar esse ritmo. Assim estudos de Charlote Bühler, Marta Moers, A. Guardini, Bernard Lievegoed, Rudolf Treichler e outros, vêm corroborar as diferentes pesquisas que ainda receberam sólidos fundamentos através da obra de Rudolf Steiner. Este fala dos “nascimentos” que ocorrem de sete em sete anos, em média, dando essenciais subsídios para a elaboração da pedagogia e da medicina, como ampliações da “arte de educar”.

A maioria das pessoas conhece, de maneira superficial, as motivações típicas da infância, da adolescência e da puberdade, mas mal ouviu falar dos questionamentos e alegrias observadas aos 40,

50 ou 60 anos de idade.
Gail Sheehy, autora de um “bestseller” sobre as fases da vida, diz: “o nosso sistema vital interior desenvolve persistentemente um ritmo próprio. (..,) e há variados conhecimentos estatísticos a respeito do ritmo setenial “.

Adolf Portmann, assessorado por vários estudiosos fala do “nascimento fisiológico prematuro do ser humano”. Para ele aos 12 a 18 meses de vida extrauterina, seria a época ótima do nascimento humano, se o homem apenas fosse um mamífero. Acontece que todo nosso comportamento entre os primatas, contraria a sequência natural.

A concepção e a vida intrauterina, já bastante estudadas, guardam ainda muitos segredos: Por que nosso corpo se mantém em forma embrionária?

A resposta a esta questão é o leitmotiv deste livro: Nosso corpo quando nasce não tem nenhuma estrutura especializada. Tudo está por ser feito! Por isso falamos que quando um bebê nasce, temos diante de nós, como expressão material, a base física que só atinge a maturidade em torno dos 21 anos de idade.

Eu sou Magali Silvestre e fui orientada por meus guias a compartilhar este conhecimento